sexta-feira, 2 de junho de 2017

Poema do tempo que a virgindade tinha valor

Venho atravessando os tempos
Vivendo em eras diferentes
Tudo muda muito mesmo rapidamente rapida mente
Mente
A era primitiva e suas primícias
A era pós moderna e suas modernices
A humanidade mudou 
E todos os seus valores
A presa
A pedra
O aço
O ouro
O dólar
O que parecemos ser
A virgindade
O poema
O poema e a virgindade
Antes guardado
Quase sagrado
Sua ausência pecado
Um prêmio a ser dado
Hímen em síntese
Tudo de si 
Esse foi meu poema
Tudo de mim
Em síntese
Que foi dado
Que foi rompido
                                                  Mas não corrompido
Sangrado
Na bruma com lágrimas
O que se foi
E ninguém mais se importa
Com o poema
Mas algo ficou
E ninguém mais se importa 
Com o poema
Latrocínio no jornal
Por um par de tênis
Eu caço os verdadeiros valores do meu tempo
Não a virgindade mas o amor
Não um poema mas o amor
Nada mais que a vida
Nada vale mais do que a vida

Alguns poemas não têm valor
Realmente
Os que fiz com o que peguei do chão
Os que fiz com o que sobrou de mim

Nenhum comentário:

Postar um comentário