terça-feira, 29 de novembro de 2016

Sandman - Estação das Brumas (capítulo 7)

Mote

Caminham como se carregassem
O peso de mil mundos
Sobre os ombros
Mas felizes ou tristes
Não importa
Eles estão voltando






Voltas

Como saber o que acontecerá
Não é possível
É impossível
Os dois lados são da mesma moeda
E voltamos para o ponto de partida
E o giro nos retorna
Ao mesmo lugar
Pq tudo no universo se move
Em círculos
E nossas escolhas
São início de todo movimento
E todo movimento
Torna ao mesmo lugar
Como uma fita k7
O fim do lado B
É o início do lado A
E atrás de toda tempestade
Há um sol super brilhante
Além do que podemos ver
Imaginemos
O sol brilhante
Imaginemos
Um poema
Ou um sonho realizado
Um beijo quente úmido e apaixonante
Ninguém nos criticando
Podemos ser
E imaginar
Imaginemos o que somos
Uma tarde de paz
Uma noite suave
Uma manhã brilhante
Imaginemos
Somos o chão
E o sereno é poesia
Hoje o dia é nublado
E de instante em instante
Serena um poquinho

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Sandman - Estação das Brumas (capítulo 6)

A quem foi dado esse poder
De escolher o que é belo
De escolher ser belo
Ainda temos escolha
Quando só há um caminho
Ainda temos escolha
Quando veio a dor eu sorri
Velha conhecida
Hoje somente hj
Spleens e charutos
A natureza escolherá ser diferente
O leão fugirá
Os abutres caçaram
E a presa não correrá
Os dentes de leão estarão estáticos
E a água dos rios não irá para o mar
Todos os homens se amarão
Naturalmente
Hoje somente hj
This night has opened my eyes
E aceitarei meu papel
Que o Criador estabeleceu
Negarei toda poesia
Negarei a mim mesmo
E todas as emoções que sinto