sexta-feira, 1 de agosto de 2014

O ilusionista

Fiz belas todas as ilusões
Com palavras ditas e não
Usei as cores sem saber pintar
Colori alguns sentimentos
Com as cores do arco-íris
E o brilho das nebulosas
Traços retos como a chuva
Traços curvos e suas curvas
Sem saber pintar
Como fiz isso
Com poemas
Com ilusões
Ou com amor?
Com palavras ditas e não
Fiz músicas belas e constrangedoras
Sem saber as notas musicais
Pensamentos dissonantes
Amores desarmônicos
Fiz de um beijo um lindo refrão
Arranjos de cordas
Arranjos de flores
Sem saber os tons
Ou semi tons
Um pouquinho Tom Jobim
Sem saber das notas
Como fiz isso
Com poemas
Com ilusões
Ou com amor?
Com cores
Com música
E com movimento
Está completa a ilusão
É a mágica do cinema
Mas o fiz com palavras
Sou um grande ilusionista
Fiz poema tipo filme
Sem saber nada de cinema
A caminhada tensa das grandes cidades
Tantas caras estranhas e indiferentes
Sons metálicos e metropolitanos
Até que dei um close em seu olhar
Demorando tipo Kubrick
Câmera estática
Beijo de língua em Bullet Time
Enquanto a vida desmorona em estrofes
Enquanto construo uma ilusão em versos
Enquanto apenas foco em seu lindo olhar
Revejo o roteiro das ilusões lançadas
Será o amor um efeito especial?
Vamos ter que rodar esta cena
Novamente
Repetidamente
Até que eu decore minha fala
Só lembro a última palavra: ...amor!
Sem saber nada de cinema
Como fiz isso
Com poemas
Com ilusões
Ou com amor?
Lembrei minha fala
- Não se faz poemas
Só com palavras
Só com ilusões
Ou só com amor.
Te fiz poemas
Com mil palavras
Mil ilusões
Talvez amor.