sexta-feira, 11 de julho de 2014

Poesia de um tempo qualquer

Escrevi um poema ontem
Para ser lido amanhã
Porque é de tempo nenhum
Volta ao passado
Foge do presente
Viajando no futuro
Espelho que reflete nosso ser
Espelho de Harry Potter
Que apaga o que eu queria
E já não  quero mais
E despedaça os desejos futuro
Dissecando os sonhos do presente
Língua saliva lembrei beijos do passado
E todos os beijos que me há de negar
Por pura crueldade
Guardando os beijos que quero dar
Escrevi um poema ontem
Para ser lido amanhã
É óbvio que lembra da minha infancia
Porque nesse tempo eu podia voar
Podia amar simplesmente
Perdoar sinceramente
E sorrir desinteressadamente
Só não podia ser adulto
E todas as lembranças e doenças da velhice
Aceitando mansamente o tempo presente
Escrevi um poema ontem
Para ser lido amanhã
Que fará vc lembrar dos amores 
Que não deram certo
Mas que vc lutou por eles
Entrega de corpo e alma
Que dissipa o corpo
Que dispersa a alma
Mas os beijos até que foram gostosos
Ensinando o que vale a pena
Escrevi um poema ontem
Para ser lido amanhã
Em que eu lembrei de vc
Será que vc ainda lembra de mim?
Eu era tão tolo
Talvez por isso feliz
É lógico que achei um tesouro
Bem no fim do arco íris
E bebi e dancei feito louco
Numa festa de gnomos
E foi lá que te conheci
E foi lá que peguei a bolsa de pandora
Quase vazia
Peguei emprestada
Guardei nela todos os beijos negados
Sonhos frustrados
Amores perdidos
A fé nas pessoas
E todas as lembranças
Que já esqueci
Já havia algo lá
Não lembro bem o que era
Só me lembro de vc
E das loucuras que fazíamos
Porque me faziam feliz
E tudo o que fazemos são lembranças
De um futuro que se apresenta
Pelo menos amei
Não perca tempo
Me ame também
Escrevi um poema ontem
Para ser lido amanhã


Nenhum comentário:

Postar um comentário