domingo, 2 de março de 2014

A mais pura mentira

Sabe coisas que coexistem incompatíveis
Tipo o amor e a mentira juntas irmanadas
Minta pra mim com histórias incríveis
Me faça feliz com falácias esfumaçadas

Quem ama não magoa com verdades plausíveis
Guarda a língua que corta tal espadas afiadas
E as críticas e correções duras e desprezíveis
Por amor, são no peito bem fundo guardadas

Não me oponho a correção materna ou de Deus
Só quero que não use a verdade dos erros meus
Pra me magoar, me machucar, deixar-me na estrada

E se teus pés no caminho forem pra longe dos meus
Faço um pedido depois do último beijo de adeus
Minta pra mim, que me amou e mais nada

Nenhum comentário:

Postar um comentário