sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Embalos de sábado à noite

Ontem sonhei com um anjo
Estou muito ansioso estes dias
Excesso de futuro
E ele respondeu: basta a cada dia o seu mal
E me permitiu por um instante 
Ver o coração dos homens
E não pude perdoá-los também
Titanic que afundou em meu peito
Quem não pode perdoar
Não pode amar
E quem, não ama a si mesmo?
Ame a todos como se não houvesse amanhã
Então uso uma velha combinação
Bíblia, chá, ansiolíticos e peixinhos de aquário
E deixo o coração um pouco nublado
E pauso um pouco as inquietações sobre o amor
E sobre o amar
Como criança que olha pro mar
Pra algo belo e fantástico
Com medo e admiração
E um desejo inquietante e profundo




Um comentário:

  1. Nossa, mas que belo, o amor que seduz e amedronta, que chama e repele, como as ondas do mar!

    ResponderExcluir