sábado, 18 de janeiro de 2014

A morte após do pós moderno

Há muito tempo atrás 
A morte era um grande fenômeno
Um grande acontecimento
Algo acontecido com um conhecido distante

Há algum tempo atrás
A morte era algo espantoso não pequeno
Foi de acidente, crime ou ferimento?
Era sempre um fato inquietante

Num video-game ou num filme
A morte é mais que natural
Já não nos causa estranhamento
E acontece a todo instante

E na mídia há tanto crime
Que saiu da página policial
E foi pra do entretenimento
Ficou a morte desimportante?

Ontem quase me deu um sobressalto
Algo normal num engarrafamento 
Ó trânsito infame num dia quente
Me estica os nervos sobe a pressão

Havia algo morto no meio do asfalto
E enraivado com o trânsito lento
E não senti nada, indiferente
Se era um homem ou se era um cão


Nenhum comentário:

Postar um comentário