sábado, 5 de outubro de 2013

Obliviate

Tem dias que não queremos pensar
Não queremos saber
Não queremos lembrar
O passado
Coisas velhas
Coisas de velhos
Estou velho
Fica difícil pensar no futuro
Então penso como jovem
Não pensando
Só vivendo
Se misturando
Se dispersando
À noite já me esqueci
Das coisas estúpidas
Vou dançar como um louco
Fumaça de gelo seco
Pills and ice rave lôca
Ao infinito e além
Vou atravessar o rio pra buscar manga
Não fugirei covardemente
Vou brigar na rua
Soco chute soco chute
Pedra papel tesoura
Não pensarei no risco de vida
Bicicleta sem freio
Não lembrarei das doenças venéreas
Maria batalhão
Esquecerei todo tipo de conselho
Mamãe tá me esperando acordada

Não tive medo e tomei
A pílula vermelha
Mas guardei a azul no bolso
Do meu roto paletó
Para quando quisesse esquecer
Toda loucura que fiz
Para quando quisesse esquecer
De meu ser
Como um feitiço
Obliviate

3 comentários:

  1. Ah.... se feitiços funcionassem... Aprenderia com Rowling e usaria muito esse (Obliviate), rs. E a pílula vermelha seria uma boa, a ligação com outro mundo, matrix... Já a azul espero não ter que usar nunca, hehe.
    Abraços Allisson!

    ResponderExcluir
  2. Comigo tudo é muito diferente. Quanto mais o tempo passa mais eu fico jovem. rsrsrsrsr
    Meus pensamentos não envelheceram com os meus cabelos.
    Belo poema.
    Beijos!!

    ResponderExcluir