sábado, 19 de outubro de 2013

O cravo e a rosa



O cravo pulava a cerca
Passava a noite n’outro jardim
Uma noite dormiu com a rosa
Outro noite com a jasmim

Amante boa Amor-perfeito
Amor-perfeito por toda vida
Só não gostava do crisântemo
Que só servia na despedida

Era galante com toda flor
Chamou de belas e de queridas
As Violetas, as  hortências...
Caiu na boca das margaridas

As margaridas já espalharam
A fama do garanhão
A rosa ficou sabendo
E foi aquela confusão

O Cravo brigou com a rosa
Caindo de uma sacada
O Cravo ficou ferido
E a Rosa desesperada

Um beijo pra despertar
Bater de novo o coração
O cravo ficou sarado
E a rosa lhe deu perdão

Todas as flores se abraçaram
O cravo com seus amores
 Bem juntinhos então viraram
Um lindo Buquê de flores

6 comentários:

  1. Maravilha Allisson ! Adorei ! Parabéns ... e disse certo: " todo dia é dia das crianças que habitam em nós " ( me lembrou a fantástica dedicatória de Saint Exupery no livro O Pequeno Príncipe ) Um forte abraço meu amigo !

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário, Sandro.

    Abçs amigo

    ResponderExcluir
  3. O joguete com os nomes das flores ficou perfeito! Curioso é que no buquê todas estão mortas... Abraços Allisson!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos "pensar" que elas estão vivas... rsrsrsrsr valeu Diego

      Excluir