sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Uma coisa que parece amor

Suporto bem os seus defeitos
Penso que sim, mas digo não
Falo bem dos teus maus feitos
Te amo sim, mas só que não

Te entregaria todo o meu corpo
Em um transplante ou corpo são
Minha alma dei para Cristo
Te amo sim, mas só que não

Te dou tudo que posso dar
Pago a fatura do teu cartão
Só não me peça pra casar
Te amo sim, mas só que não

Escuto tuas fadigas do dia-a-dia
Chefe, contas, estresse e reclamação
Tô me lixando pra tua astrologia
Te amo sim, mas só que não

Não tenho olhos pra mais ninguém
Nem pras gatas da televisão
Então, entre nós não bote alguém!
Te amo sim, mas só que não
 
Digo que te amo com um objetivo
De ter prazer sobre o colchão
Até que é verdade, mas parece apelativo
Te amo sim, mas só que não

O amor não pede nada 
Por isso essa confusão
O amor com amor se paga
Te amo sim, mas só que não
 
Não sei bem o que eu sinto
Nunca escutei meu coração
Falo a verdade, mas também minto
Te amo sim, mas só que não

3 comentários:

  1. O amor é bem confuso. Houve tentativa do eu-lírico de pagar de algum forma o amor. Mas no final ele mesmo percebe que o amor só se paga com amor.
    O amor, dizem, é o sentimento mais amplo e mais bonito. Mas muitos não gostam de admiti-lo Temos medo de dizer "eu te amo".

    Boa reflexão, abraços meu amigo.

    ResponderExcluir
  2. É como pular de pára quedas, dá medo, mas respira fundo e pula...

    ResponderExcluir
  3. Só que não te amo assim!!!!!!
    Contradições que temos no cotidiano da vida.
    Palmas!!!

    ResponderExcluir