terça-feira, 12 de março de 2013

Janela mundo

Onde nem sei quem sou
Na minha poltrona
Tv desligada
Vejo-me perplexo
Opaco reflexo
De várias polegadas em full hd
Melhor olhar pela janela


Vejo o mundo do mundo
Pelo fundo da janela
Ao vivo e em cores
Pura estereoscopia
Passando diante de mim
E do meu fim
Meus olhos cansados
De olharem a si mesmos
Peixe fresco olhos brilhantes
Então todo o teu corpo
Será bom
Melhor olhar pela janela

Vejamos o que passa de bom na rua hoje...
Carroceiro
Espécie em extinção
Vendedor de pirulitos
Também
Caixeiro viajante
Também
Pivetes com baladeira
Também
Ciganos leitores de mão
Idem
Os diamantes são eternos
Os mendigos também
Melhor olhar pela janela

Vejo olhos tensos e apressados
Passeando pelas ruas
Auto-retratos de Van Gogh
Auto retrato autor retrato
Autorretrato e regras idiotas
Soquem todos os hífens
No fundo do buraco negro da NGC 1277
Maldito estresse
E urbanidade
E modernidade
Malditos poemas perturbados
Do mundo pós-moderno
Melhor olhar pela janela

Os tablóides contemporâneos
Foram impressos com sangue
Expressos com sangue
Culpa da violência
Porque vende mais
Enquanto olho pela janela
O rádio toca Elvis
Unchained Melody em 77
Molhando o piano de suor
Malditas pílulas
O colapso de uma estrela
Buraco negro no meu peito
Melhor olhar pela janela

Passa o Morrisson
E uma penca de caras estranhas
Passam os arrumados
Passam os desgrenhados
Passam os moralistas
Passam os imorais
Passam os roubados
Passam os políticos
É verdade Piva
Não dá pra ser piedoso
Com essa gente
Rua desinteressante
Vidas que não interessam
Nem a metafísica
Nem a tetralética
Filosofia de excluído
Nada me interessa
Vida que passa pela janela
De algum lugar
Pra lugar algum







Até que enfim, voltou a energia elétrica; bem na hora do Gumball e do Ricardo, o melhor pai do mundo.


2 comentários:

  1. Allisson, este poema é incrível. Acredito no que escreveu. Regras idiotas que em nada mudam o que deveria ser mudado, a realidade por muitas vezes triste que olhamos da janela. Para nós melhor sermos alguém que escreve poemas perturbados, ao som de Elvis, nma outra constelação, adimensional. Parabéns. Estou recomendando este teu texto na minha página, abraços.

    ResponderExcluir
  2. Valeu leão, te aprecio muito!

    vc sabe que eu já fui no seu blog e deixei uns comentários,

    Valeu!

    ResponderExcluir