quarta-feira, 27 de março de 2013

Catar lixão

Catar no lixão se limita com escrever:
joga-se o lixo para os catadores
e as palavras na folha de papel;
e depois, pega-se tudo o que importar.
Certo, toda palavra se aproveitará,
água de compostagem, por húmus seu verbo:
pois para catar no lixão, viver nele e dele,
e pegar pet oca, eco é som reciclado.

Ora, catar no lixão entra vários riscos:
o de que entre o lixo podre empilhado,
em um saco qualquer, jóia ou dinheiro,
objeto perfuro-cortante, feto morto.
Certo também, quando ao catar palavras:
a jóia e o feto dão vida à frase;
liberta a leitura da leitura banal, trivial,
açula a atenção, isca-a como o risco.




Catar lixão é um poema derivado de autoria de Allisson Franklin da Silva Ferreira,
derivado do poema "Catar feijão" de João Cabral de Melo Neto.


segunda-feira, 25 de março de 2013

Como sentimentos que não passam logo


File:Curva oromana.jpg

Só! Absorvo a chuva

Recebo o sol da manhã

Te espero após a curva








Imagem retirada do site: http://commons.wikimedia.org
File: Curva oromana.jpg
Author: Descansatore
Imagem de livre distribuição


quarta-feira, 20 de março de 2013

Das boates e bares da zona leste de Teresina




Madrugada na zona leste
Fim de festa
Vou pra casa a pé
As vitrines me ofuscam
Mas as ruas me levam
Leve
Calçadas onde flutuo
Nem um corpo
Pra me acolher
Nem uma boca
Pra me receber
E um velho refrão que diz
Nós somos tão jovens
S   i   n   a   p   s   e   s embriagadas
Faltam perspectivas
Para o presente
E ações contundentes
Para o futuro
E é nessas horas
Que eu clamo pela poesia

Ah! Poesia
Tão linda
És tão linda
Tão perfeita
Neste mundo poético
E a tanto tempo
Queria te falar
Não sei o quê
Não sei o porquê
Nem sei quem és
E não sei se existes 
Nunca te vi
Só te senti 
Nunca te desejei
Mas te imaginei 
Fica comigo
Como um amigo
Neste instante
Importante
Delirante
Único
E
Solitário


segunda-feira, 18 de março de 2013

O dinheiro não compra tudo


File:Prostitutoin Adverts.jpg


Pra mão que me afaga

Você não sabia que o amor

Com amor se paga




imagem retirada do site: http://commons.wikimedia.org
File: Prostitution  adverts
author: Thomas Hobbs
imagem de uso livre e distribuição



terça-feira, 12 de março de 2013

Janela mundo

Onde nem sei quem sou
Na minha poltrona
Tv desligada
Vejo-me perplexo
Opaco reflexo
De várias polegadas em full hd
Melhor olhar pela janela


Vejo o mundo do mundo
Pelo fundo da janela
Ao vivo e em cores
Pura estereoscopia
Passando diante de mim
E do meu fim
Meus olhos cansados
De olharem a si mesmos
Peixe fresco olhos brilhantes
Então todo o teu corpo
Será bom
Melhor olhar pela janela

Vejamos o que passa de bom na rua hoje...
Carroceiro
Espécie em extinção
Vendedor de pirulitos
Também
Caixeiro viajante
Também
Pivetes com baladeira
Também
Ciganos leitores de mão
Idem
Os diamantes são eternos
Os mendigos também
Melhor olhar pela janela

Vejo olhos tensos e apressados
Passeando pelas ruas
Auto-retratos de Van Gogh
Auto retrato autor retrato
Autorretrato e regras idiotas
Soquem todos os hífens
No fundo do buraco negro da NGC 1277
Maldito estresse
E urbanidade
E modernidade
Malditos poemas perturbados
Do mundo pós-moderno
Melhor olhar pela janela

Os tablóides contemporâneos
Foram impressos com sangue
Expressos com sangue
Culpa da violência
Porque vende mais
Enquanto olho pela janela
O rádio toca Elvis
Unchained Melody em 77
Molhando o piano de suor
Malditas pílulas
O colapso de uma estrela
Buraco negro no meu peito
Melhor olhar pela janela

Passa o Morrisson
E uma penca de caras estranhas
Passam os arrumados
Passam os desgrenhados
Passam os moralistas
Passam os imorais
Passam os roubados
Passam os políticos
É verdade Piva
Não dá pra ser piedoso
Com essa gente
Rua desinteressante
Vidas que não interessam
Nem a metafísica
Nem a tetralética
Filosofia de excluído
Nada me interessa
Vida que passa pela janela
De algum lugar
Pra lugar algum







Até que enfim, voltou a energia elétrica; bem na hora do Gumball e do Ricardo, o melhor pai do mundo.


O amor e o teorema de Fermat-Wiles



File:Teorema-Fermat.gif



Se amar fosse fácil

Seria equação matemática

Sem cálculo e incógnita





segunda-feira, 11 de março de 2013

As moscas são atraídas pela luz


File:Crocosmia lucifer FR 2012.jpg


Se é de ouro reluz?

Lúcifer anjo de luz

que não me seduz




imagem retirada do site: commons.wikimedia.org 
File:Crocosmia lucifer FR 2012.jpg 
Author: JLPC
imagem de livre uso e distribuição


 

 

quarta-feira, 6 de março de 2013

De profundis clamavi

Estive entre os reis, ricos e belos
Entre os nobres, os famosos e singelos
Lembro do conforto, castelo de manjares
Lírios e narcisos dissolutos pelos ares

Percebi uns risos de escárnio e desdém
Senti uma aversão recíproca também
Porque tenho a pele do sol queimada
Olhos vermelhos e a fronte assanhada


Então, misturei-me à sombra da noite
ao furtivo, à puta, ao mendigo, ao açoite
Aos que choram e serão consolados, amém!


E do fundo do esgoto, entre os cães, digo ai
Sou feio, sou sujo, sou mau, perdoa-me Pai
Se é entre a escória que me sinto bem



terça-feira, 5 de março de 2013

Vão-se os dedos ficam os anéis


File:Carcharodon carcharias.jpg


Tubarão e formol

A arte pra posteridade

Mar rocha e farol


Imagem de domínio público
Imagem retirada do site: http://commons.wikimedia.org 
File:Carcharodon carcharias.jpg
Author: Sharkdiver68