quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Arroz, feijão e você

Portador de TOC
Resolvi guardar, defender
No armário da cozinha
Arroz, feijão e você

Essencial pra viver
Na seção Day-by- Day
O que é importante guardei
Arroz, feijão e você

Coisas que não desmereço
Mas raramente elogio
Sem elas, quem sabe, pereço
Arroz, feijão e você

Não pode salgar
Não pode queimar
Do jeito de sempre
Arroz, feijão e você

Nada de salada
Refeição balanceada
Fico feliz se comer
Arroz, feijão e você

Não me venha com sopa
Quero mesmo é morder
Dar dentada e lamber
Arroz, feijão e você

Ovos moles mexidos
Filé mignon pode ser
Desde que tenha na mesa
Arroz, feijão e você



domingo, 25 de novembro de 2012

Quando lembrei de você: sorri.





File:Monkey Sam Before The Flight On Little Joe 2.jpg 
 
Kozmic comics
Toda dor e paixão são cômicas
Quando são lembranças





imagem retirada do site: http://commons.wikimedia.org
imagens da nasa são de uso livre

Dentro de mim: ventania.


 
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/38/Parreiras-ventania-pinac.jpg


Você diz que falo pouco
Mas você não escuta o vento
Sou viração, não ventania




óleo sobre tela. Ventania, de Antonio Parreiras
imagem de uso livre retirada do site: http://commons.wikimedia.org



quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Não quero mais ficar acordado até tarde




O passado chegou
Ao dia de hoje
Pegou carona em mim
E acordou ao meu lado

O falar do meu chefe
A alimentação poli-insaturada
Repetições burocráticas
Exigências matrimoniais

Noite antipática
Não consigo dormir
Caos no sistema simpático
Tento me distrair

Jogo um pouco god of war
Entro na matrix www
Se ficar triste não ouça Billie Holiday
Faço um lanchinho: sem frutas estranhas

Concentro-me na minha respiração
A Bíblia me afaga, calmaria
O cansaço fecha meus olhos
Sonhos ausentes

Acordo até bem
Mas falta alguma coisa
Que um sentimento me pegue
E me levante

Algo mais que a motivação
Um sentimento de amor
E paixão pela vida
Amar sem ser amado

Quero que um sentimento sereno
Me desperte com um beijo
E me derrube da cama
E se aconchegue em meu peito

- Vai! – Levanta-te! (disse um anjo o meu ouvido)
- Descobre porque os lírios se vestem assim!

domingo, 18 de novembro de 2012

metalinguística



File:Profiteroles com Sorvete de Queijo e Calda de Goiabada.jpg

Sobremesa de queijo com goiabada
Você sabe que eu gosto
Sexo com elementos prosódicos







Foto de Roberto Berlim, Brasil
imagem de livre distribuição retirada do site:
http://commons.wikimedia.org


quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A cruce salus



Estava lendo a postagem: Sobre o lado ruim de algumas pessoas  de 12 de novembro de 2012do blog:  http://literaturaexposta.blogspot.com.br/
Publicação: Leonardo Távora

O texto começa assim: “Ser correto é difícil. Muito difícil”... e pensando na minha grande incapacidade de ser correto muitas vezes, refleti, refleti, refleti... acabei fazendo um poema, ainda nem sei bem se meu poema tem a ver realmente com o texto mas foi quando comecei a ler que me surgiu a idéia, e
já foi!

A cruce salus


Não acho difícil ser bom
Não acho difícil ser mau
Às vezes sou bom
Às vezes sou mau

Acho difícil é ser
O que não sou
Ou
O que eu não quero ser

É preciso ter coragem
Para ser o que somos
Ou
O que queremos ser

Eu queria muito
Mas muito mesmo
Que meu mais feio poema
Não ficasse escondido
Guardado
Reprimido

Eu queria muito
Mas muito mesmo
Que meu grito de raiva
Não ficasse contido
Sufocado
Oprimido

E quando a multidão clamasse
Em coro uníssono
Eu dissesse o que eu quisesse
Mesmo que contrariasse
Que eu não me calasse
Que bem alto eu gritasse:
Romanos malditos!
Soltem Jesus!
E crucifiquem Barrabás!